s1
s2
s3
s4
s5
s6
s7
s8
s9
s10
s11

Tanque da Praça da Oliveira

tanqueoliveiraAté ao final do século XVI, o abastecimento público de água à população de Guimarães era assegurado pelo chafariz da Praça.
O chafariz da Praça encostava-se à torre da Colegiada da Oliveira, possuía três bicas, a pedra de armas da vila de Guimarães, com uma imagem de bronze da Senhora da Oliveira, e as armas reais. Esta memória corresponderá a uma reconstrução do tanque que ocorreu no início do século XVI. O original e mais antigo data de 1390 e foi obra do mestre pedreiro João Garcia, mestre da obra da igreja de Santa Maria. Há um recibo
(imagem à esquerda) de 1392 que comprova que este recebeu na crasta da igreja da Colegiada a importância de 800 libras por razão do chafariz que no dito ano e tempo fez ao concelho. Tal chafariz só poderia ser o da Oliveira, que iria ser, até finais do século XVI, o único que a Câmara possuía na vila de Guimarães.
A introdução do sistema de abastecimento público de água, em Guimarães, levou ao seu desmantelamento no dia 20 de Agosto de 1904. As pedras de armas que o ornamentavam pertencem hoje ao Museu Arqueológico da Sociedade Martins Sarmento.
[1]


Imagens do tanque na praça:
pic1 pic2 pic3 pic4

Imagem da praça sem o tanque:
pic5 pic6 pic7 pic8


Este documento, com a cota 8-1-4-24, faz parte da série de Pergaminhos do arquivo da Câmara Municipal de Guimarães e pode ser consultado AQUI.

[1] NEVES, António Amaro – Águas Passadas. In Mãe –d’ água: centenário de abastecimento público de Guimarães. Guimarães: Vimágua, Empresa de Água e Saneamento de Guimarães e Vizela, E.I.M., 2007. p. 22-24.
topo